Os Ritos do Dragão

Olá noobs do meu coração? Como estão? Espero que bem!

A vencedora da promoção já está com 1/2 do prêmio em mãos, falta a caixa de cookies (a procura da embalagem ideal)!!

(Ps: comentando no post do resultado da promoção você concorre a uma caixa de cookies!)

Hoje trago um livro diferente, pois ele faz parte de algo maior, de muitos outros livros, apesar de que pode ser lido separadamente – não é mais uma série!

Conheci o livro através do rpg Vampiro O Réquiem, o upgrade do Novo Mundo das Trevas para Vampiro A Máscara. Os Ritos do Dragão traz uma versão completamente nova para a história de Drácula, então aqueles mais acostumados à imagem clássica feita por Bram Stoker e a visão romântica dos vampiros de Anne Rice, certamente lerão com o nariz torcido.

A história (original) de Drácula foi adaptada para os preceitos da Ordo Dracul, ou Ordem do Dragão*, e com ela podemos conhecer melhor as origens dos anéis usados pelos dragões para resistir a tudo aquilo que mais afeta os vampiros: sangue, fogo, etc… (é o próprio que dá origem à coalizão)

Conhecemos o Drácula em meio a uma batalha contra os infiéis (turcos), ele morre e tem seu julgamento feito diretamente por Deus, que por sua crueldade em terra lhe amaldiçoa, dando-lhe a imortalidade e fazendo-lhe sobreviver com aquilo que mais jorrara em vida: sangue. Sua vida amaldiçoada lhe impediu de andar sob a luz, transformando-o em um ser das trevas. Nos primeiros anos como um vampiro, Drácula não teve controle de sua besta. Luta constantemente para retomar seu poder, e formar um exército sob seu controle.

Ao longo da quase vida de Drácula ele se vê envolvido com três figuras femininas, Mara, Anoushka e Lisette cada uma que representará um caminho em busca da perfeição. O livro é muito curto, com muitas ilustrações e pouco texto, por isso acredito ser melhor encerrar por aqui, sem fazer um resumo do mesmo.

Como disse anteriormente, é um livro que pode ser lido a parte, não sendo necessário ter em mãos O Réquiem, porém, depois da leitura muitas são as perguntas, então o ideal é ler o livro da Ordem do Dragão (infelizmente não há versão em português publicada, e não achei nenhuma tradução em ebook/ mas o ebook em inglês é fácil de encontrar).

* Para os que não estão habituados com o jogo, uma brevíssima explicação: no Réquiem temos algumas coalizões (“clãs”), cada uma com suas características marcantes. Temos a Ordo Dracul, os Cartianos, os Lancea Sanctum, os Invictus e os Ciclo da Anciã (também tem os Apartidários). As coalizões funcionam como partidos políticos, não obrigando seus membros serem de uma mesma família; as famílias são Daeva, Ventrue, Nosferatu, Mekhet e Gangrel. Para mais informações leia aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s