Imaginários 3, coletânea Editora Draco

Hoje trago a resenha de um livro de contos que li faz um tempinho. Tinha guardado o Volume 3 da coleção Imaginários para o Desafio Literário do ano passado, mas infelizmente não tive como publicar na data certa.

Graças ao meu caderno de anotações, minhas impressões sobre os contos saem agora!

Sobre a coleção:

Grandes e novos autores exploram infinitos imaginários nesta coletânea da Editora Draco. A coleção IMAGINÁRIOS trará, a cada volume, contos inéditos que encontrarão o fantástico em todas  as suas variantes, contando histórias de ontem, de hoje, de amanhã e – por que não? – de nunca. Conheça esse maravilhoso universo e reimagine a literatura fantástica.
É hora de começar a viagem. Prepare-se para uma aventura inesquecível  da primeira à última linha, numa coletânea que é um sopro de frescor no panorama da literatura fantástica nacional. 

Visite o hostsite!

Sobre o Volume 3, organizado por Erick Santos:

Neste terceiro volume da coleção Imaginários da Editora Draco organizado por Erick Santos Cardoso, os autores Eduardo Spohr, Marcelo Ferlin Assami, Rober Pinheiro, Douglas MCT, Lidia Zuin, Marcelo Galvão, Cirilo S. Lemos, Fernando Santos de Oliveira, Ana Cristina Rodrigues e Fábio Fernandes desafiam as fronteiras do real e apresentam excelentes histórias de fantasia, ficção-científica e terror.

Capa de Imaginários 3

A TORRE DAS ALMAS, Eduardo Spohr

O conto me pareceu uma aventura de Anjo, a salvação (RPG). Para quem não conhece a mitologia criada por Spohr em A Batalha do Apocalipse, as descrições breves sobre cada casta é suficiente para entender as funções desempenhadas por cada personagem, assim como as reações que cada um tem enquanto grupo.
A história começa com a investigação do suicídio de uma  senhora, que aparentemente não tinha razões para o fazer. Chega o ponto em que Ismael torna-se o centro de tudo, pois com a ajuda dos talentos de cada anjo presente, ele descobre que almas estão sendo aprisionadas. Quem está mantendo essas almas presas e qual o seu propósito? Só lendo para saber 😉

BREVE ASCENSÃO DO PAPA ALEXANDRE IX, Marcelo Assami

Foi o conto mais esquisito que já li na vida! Alguém pode me dizer se faz parte do weird ou new weird?! As coisas e as personagens estão conectadas de algum modo que faz sentido, mas não muito (pelo menos para mim). Me pareceu um pouco de teoria da conspiração, um pouco diário. Farei uma releitura para dar um update aqui.

AS NOIVAS BRANCAS, Rober Pinheiro

Um conto espacial!!!!!! Finalmente! “Muita” ação na aventura de um humano que é viciado nas ilusões criadas por Clara, sua amante virtual. O humano em questáo é o capitão de uma nave, cuja  tripulação é composta por seres de outras espécies. O grupo (sobre)vive de missões, e a de agora é resgatar uma carga valiosa. (Por muito pouco não deixei spoiler, ó céus!)
O conto é bem estruturado, e como é narrado em primeira pessoa dá para captar bem o grau do vício do capitão. Salvo engano, não conhecemos o nome do capitão,  mas este sempre refere-se aos não-humanos por seus nomes, “sotaques” e concepções mostrados através dos pensamentos que nos são revelados.
O que são e onde estão as noivas brancas? Só lendo para saber!

BONIFRATE, Douglas MCT

Um conto steampunk sobre a história de um construto sem memória, que acorda todas as madrugadas e anda pelas ruas querendo respostas e descobrindo sentimentos. A cada noite que acorda, encontra um caminho diferente, e, consequentemente, uma descoberta diferente.
Com direito a viagem no tempo, amor e rebelião contra os Raposas, conhecemos a busca de Carlo para se tornar humano e viver com o amor de sua vida.
O conto é bom, bem interessante. Só achei as descrições um pouco excessivas, tendo bronze e vapor em tudo (característica que funcionaria melhor se fosse um conto ilustrado, ou até virasse uma história em quadrinhos).

DIES IRAE, Lidia Zuin

Meu primeiro contato com cyberpunk escrito (vergonha define), e adorei! Aqui conhecemos Lynx, uma  ex hacker que perdeu tudo depois que invadiu o sistema dos rivertheads e divulgar para o mundo as barbaridades que eles faziam. As pessoas queriam acabar com eles, e eles, por sua vez, queriam acabar com Lynx.
Com os elementos do cyber sempre presentes, o conto não deixa nada a desejar. Um dos melhores da coletânea.

VIDA E MORTE DO ÚLTIMO ASTRO PORNÔ DA TERRA, Marcelo Galvão 

Foi muito divertido ver relatos da história da pornografia e das mudanças que o mundo passou com a presença dos bios e robôs que aos poucos foram assumindo atividades humanas, inclusive no mercado cinematográfico.
Sabemos um pouco da vida de Nick Dick, do auge do seu estrelato até a decadência provocada pelas farras e uso de drogas. Com dificuldade em decorar falas e a procura cada vez maior por filmes de sexo estrelados por bios, Nick se vê desabrigado e recorre ao antigo amigo e diretor de seus filmes, Reggie, que lhe promete um novo papel. Só que os atores com quem ele contracenaria não eram bem o que esperava.
Vale a pena a leitura, pessoas mais pudicas não precisam se preocupar, não tem nada de exagerado.

CORRE, JOÃO, CORRE, Cirilo S. Lemos

A princípio achei que era um conto erótico, mas depois João mostra a que veio (na verdade a gente descobre junto com ele). Com bastante toque do sobrenatural envolvido no conto, vemos o conflito de fé, o medo e o amor por um filho mecer com a cabeça de um cara que se julgava normal.
Muito interessante a perspectiva adotada e todo o lado sobrenatural sobre morte e espíritos, ou seriam fantasmas?! Confiram!

UMA SEGUNDA OPINIÃO, Fernando Santos de Oliveira

Parece muito uma lenda urbana. A leitura do conto coincidiu de ter se iniciado depois que eu assisti o filme Clube da Luta – façam vocês a relação entre a história e o filme depois de lê-lo.
A história se passa num colégio antigo, onde Renata estuda. Ela perde o cara que gosta para uma colega, e ver a dita cuja e suas amigas felizes a faz sofrer muito. No auge desse sofrimento, Renata percorre o colégio em busca de um lugar em que possa ficar sozinha, neste momento ela encontrar a biblioteca vazia. Ouvindo passos, ela resolve se esconder e encontra lá mesmo uma sala de leitura escura, mas não vazia.
A menina que estava na sala passa a ajudar Renata em sua vingança. E as consequencias dessa atitude não são surpreendentes.
Gostei bastante da narrativa, só achei um pouco clichê.

MARIA E A FADA, Ana Cristina Rodrigues

Dos contos que li da autora, este foi o que mais gostei. Sério, muito amor!
Nele conhecemos Maria, que para salvar parte do que ainda resta do patrimônio de seu falecido pai, tem que casar com o arquiduque Maximiliano de Áustria, sujeito que seu protetor (quase um segundo pai) ainda desaprovava.
La Marche tem um amor muito grande por Maria, e pela idade avançada, teme não poder vê-la cuidar de seus filhos, mas os avanços aos Países Baixos estavam caminhando, e Maximiliano precisava de alguém de confiança liderando o grupo para evitar que os inimigos interrompessem suas ações.
Antes de partir, La Marche conta mais uma vez a história da fada Melusina, a favorita de Maria. Ao fim, entrega-lhe um tesouro. Ao contrário de seus medos, La Marche retornar de sua missão com vida, porém, as coisas não são mais as mesmas, e outro destino lhe é traçado.

O PRIMEIRO CONTACTO, Fabio Fernandes

Ainda acredito que seja um alterego!

Com nota esclarecedora, lemos o conto de um escritor misterioso, que teria escrito o mesmo por volta dos anos de 1930. O Dr. Eleutherio Penna Filho (pseudônimo, claro) é escritor de ficção, uma ficção quase assombrosa se pensarmos na época em que foi elaborada.
A tecnologia da época é bem mais desenvolvida, e a vida das pessoas está muito diferente – em parte por conta da Guerra. Então é noticiado que a maior empresa  de aviação comercial do mundo, a Hughes Aircraft, tem feito comunicação com extraterrestres.
Me lembrou muito o teor de contos steampunk que tenho lido, com muitas inovações tecnológicas, uma realidade alternativa que mistura personagens históricos em uma situação nova: exploração espacial.
Isso mesmo!! Já tinha imaginado Santos Dumont contribuindo num projeto para naves de batalha espacial? Eu certamente não tinha!
Um conto muitíssimo interessante, que parece fazer parte de algo maior, de fato.

Meu comentários foram breves, quase sinopses de cada um. Se tiverem interesse, posso re-resenhá-los separadamente, aprofundando o que achei de positivo e negativo em cada. Não quis me alongar muito por serem muitos contos, e bem variados em gênero, estilo e tema. Comentem a respeito 🙂

Anúncios

One thought on “Imaginários 3, coletânea Editora Draco

  1. Pingback: Imaginários 3 « Galvanizado

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s