Diários de uma pesquisadora #2: como está a pesquisa?

Um bom tempo depois estou eu aqui, criei coragem para vir escrever. A resolução é mais para pegar o hábito de escrever diariamente, ou quase isso.

Depois de resumir brevemente minha vida na graduação, estou eu aqui certa do que fazer na pós e ao mesmo perdida em como começar.

Encontrei com minha orientadora em março, ela me perguntou se eu poderia esquematizar minha dissertação para a gente já começar a trabalhar nela, e mais de mês depois eu ainda estou confusa. O meu projeto sobre Blade Runner – O caçador de androides ainda tinha um ranço conteudístico das questões de história… Um ano depois tendo mais contato com teoria e crítica literária alguns conceitos mudaram, ampliaram, estão sendo deixados de lado para que eu encontre meu jeito de abordar a problemática da dissertação.

Estou lendo coisas sobre a pós modernidade e o pós humanismo. Estou me interessando muito pela abordagem religiosa/filosófica dos humanos com as máquinas e o Mercerismo.

O começo com a página em branco sempre é mais difícil, eu sei. Ainda mais quando tudo é novo.

Pensei muito em fazer graduação em literatura, mas não tenho muita paciência para mais cinco anos vendo coisas que não me interessam tanto, outra monografia, outro estágio.

E por falar em estágio, coloquei meu estágio para esse primeiro semestre, acreditando com toda inocência de meu ser que conseguiria adiantar meu lado para me dedicar no segundo semestre apenas à escrita… mas a greve da UEPB cortou minhas pernas. Nem sei se ainda teremos estágio, se isso será “substituído” por outra atividade ou se a segunda metade de 2013 será o inferno na terra de tantas coisas por fazer.

Preciso mesmo me disciplinar para conseguir algumas publicações ao longo desse ano. E estamos no final de abril, e a qualificação está chegando!!

capa-da-francisco-alves

Anúncios